Operário da GLP instalando rede de gás em condomínio.

Quatro edifícios de Balneário Camboriú estão adotando sistemas de gás natural distribuído pela SCGás através de gasodutos.

Os quatro prédios, localizados nas ruas 2850 e 2870, são os pioneiros da cidade nessa forma de abastecimento e a expectativa é que tenham de 25% a 30% de economia em relação ao sistema que usam hoje que é o gás liquefeito armazenado em depósitos na calçada.

Além da vantagem no custo o abastecimento com gás natural é mais seguro porque evita o transporte por caminhões e a operação de transferência para a central de gás do prédio.

Até agora a cidade tem apenas um consumidor de gás natural, o Balneário Shopping.

A SCGás, empresa que tem como acionista majoritário a Celesc e minoritários Gaspetro, Mitsui e Infragás, recebe o gás natural pelo Gasoduto Bolívia Brasil e distribui para algumas regiões catarinenses.

Aqui, o gasoduto corre pela Terceira Avenida e Avenida do Estado, derivando para a Praia Brava onde abastece dentre outros o Brava Home.

Os quatro condomínios pioneiros em Balneário Camboriú fazem parte do projeto-piloto da SCGás que nos próximos cinco anos pretende oferecer gás natural a 1.400 edifícios, mais de 30 mil apartamentos e 350 estabelecimentos comerciais.

A implantação do gás natural nesses quatro condomínios está sendo feita pela GLP Central, empresa da cidade que atua nesse ramo há 27 anos e goza da confiança da maioria dos construtores e síndicos da cidade.

Segundo seu proprietário, Henrique César Salvador, é necessário trocar os leitores de consumo e os reguladores porque o gás natural trabalha com vasão 27% maior que o GLP. Ele calcula que a economia no preço proporcione o retorno do investimento em dois anos.

Por isso, segundo Henrique, a maior parte dos prédios planejados para ser construídos nos próximos anos na cidade já definiram seus projetos com gás natural.

Fonte: Página 3