As obras do Oceanic Aquarium, maior aquário do sul do Brasil e a novidade da temporada, não param em Balneário Camboriú. A inauguração do equipamento, na Barra Sul, está prevista para novembro. Os primeiros animais começam a chegar no final da próxima semana. Eles são de criadouros nacionais e virão por transporte rodoviário e de avião. O empreendimento está recebendo investimento de R$ 12 milhões e contará com 250 espécies de animais marinhos.

Cuidados especiais

O transporte exige uma logística precisa, segundo a assessoria do aquário. É preciso garantir diversos parâmetros, como a temperatura e a oxigenação da água durante toda a viagem. Os que demandam transporte aéreo são os animais mais delicados. É o caso do peixe-disco amazônico, uma colorida espécie ornamental que virá de criadouros da região Norte do país.

Porém, a maior operação é reservada para a fase final, quando chegarão os animais que vêm do exterior, entre eles peixes como a aruanã-asiática, da Tailândia, e os tubarões galha-preta, da Indonésia.

A assessoria do aquário explica que os peixes que chegarem serão recebidos em um setor extra do Oceanic, que fica no Bairro Nova Esperança. Eles passarão por uma espécie de quarentena, mas não necessariamente ficarão no local por 40 dias. Porém, no período que ficarão no local serão analisados e receberão tratamento, caso precisem. Isso garante que todos os animais cheguem saudáveis aos seus tanques definitivos no aquário.

Obras

O teto retrátil, colocado sobre os habitats das lontras e dos jacarés, já foram instalados e agora os recintos estão passando pelo processo de impermeabilização com poliuréia, aplicada nos recintos de água doce na cor preta e nos marinhos na cor azul cobalto.

“Na grande maioria dos rios a cor marrom predomina nos barrancos. Mas como vamos cenografar as paredes inteiras com rochas e barrancos de barro, as fendas e furos que ficam vão aparecer em preto para dar impressão de profundidade. Já no marinho, o azul faz o mesmo efeito”, explica André Neto, biólogo responsável pelo projeto dos recintos e parte técnica do Oceanic.

A tecnologia é a mesma utilizada nos recintos do AquaRio, o maior aquário do Brasil, e apresenta vantagens que a tornam resistente à umidade e temperatura, é elástica e tem alta resistência a raios ultravioletas, entre outros benefícios. A poliuréia é considerada um dos melhores impermeabilizantes, amplamente utilizada nos maiores aquários do mundo. De acordo com a assessora, ela não prejudica o bem estar dos animais, nem prejudica a saúde deles. Além de proporcionar segurança e durabilidade do local, a impermeabilização dos recintos é essencial e também é fundamental na vida útil do ambiente.

O trabalho de impermeabilização já foi concluído em alguns recintos e a cenografia já está sendo montada nesses locais, com a equipe da Gallo Studio sob a direção de Roberto Gallo. O artista tem mais de 20 anos de experiência em grandes aquários, participou da construção desde os habitats do de Ubatuba, um dos mais antigos do Brasil, até do AquaRio.

Os demais habitats serão montados assim que o processo de impermeabilização for finalizado. Boa parte da cenografia está sendo elevada com a ajuda de um guindaste para os andares superiores e pela parte exterior do Oceanic Aquarium.