Praia de Taquaras

O secretário do Meio Ambiente Ike Gevaerd comemorou o encaminhamento da documentação para avaliação do juri nacional e internacional do Programa Bandeira Azul, através do qual Balneário Camboriú busca certificação para três de suas praias: Taquaras, Estaleiro e Estaleirinho.

“Cumprida está etapa daremos continuidade a algumas ações que já estão sendo desenvolvidas (coleta de água para balneabilidade, mitigação dos problemas de contaminação dos cursos de água; gestão ambiental, placas, atividades de educação ambiental, projeto das estruturas, dentre outras), iniciaremos a construção das estruturas elencadas no item segurança e serviços”, informou.

Para seguir na próxima etapa, segue Gevaerd, é preciso realizar as obras e reformas, além de outras atividades descritas no cronograma de trabalho.

Entre as obras estão anotadas a construção de banheiros, chuveiros, passarelas, postos guarda-vidas, esteiras removíveis para a acessibilidade de pessoas com necessidades especiais, instalação de lixeiras etc.

Documentos

A diretora de Fitoterapia e coordenadora de Projetos Especiais da Seman, Nayara Mioto Hirsch, explicou que a entrega de documentos e anexos para avaliação do juri do programa Bandeira Azul é requisito indispensável a ser cumprido pelos municipios inscritos na fase piloto.

Nestes documentos constam questionamentos sobre as quatro pilastras do programa: Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água, Gestão Ambiental, Segurança e Equipamentos.

Todas as perguntas estão relacionadas aos 34 requisitos exigidos pelo Programa. Por exemplo: quantas praias existem no municipio, quantas estão inscritas na fase piloto do programa, estimativa de número de habitantes na temporada de verão, se as praias são arenosas ou de pedras, se existem quiosques, quantas e quais atividades de educação ambiental serão desenvolvidas, informações sobre a balneabilidade da praia, etc.

“Nesta etapa burocrática e documental o municipio envia todas as informações possíveis sobre as praias pretendentes da certificação que obteve com os diagnósticos feitos. É uma etapa que exige organização, atenção e muita dedicação,uma vez que são dezenas de perguntas a serem respondidas juntamente com o envio de variados anexos, como leis municipais sobre: gestão costeira, parcelamento e uso do solo urbano, gestão de resíduos entre outros temas”, acrescentou Nayara.

O resultado da classificação das praias deve ser divulgado em novembro de 2018.

Informações: Secretaria do Meio Ambiente (47) 3363-7145

Fonte: Página 3