A Cineramabc Arthouse promove o primeiro Cine Boteco do ano nesta quarta-feira (17) e dessa vez em parceria com a Kombicas Growler Station. A casa abre às 18h para o happy hour. As sessões de cinema começam 19h30.

A proposta da Arthouse é unir dois dos programas preferidos dos boêmios: barzinho e cinema. Haverá chopp em dobro até 19h30 e saideira por conta da casa.

O diretor André Gevaerd escolheu a Tropicália como tema da noite. Na telona os curtas: Os Mutantes, de Antônio Carlos da Fontoura e Meu Nome é Gal, de Antônio Carlos da Fontoura), além do documentário Tropicália, de Marcelo Machado (Bossa Nova Group).

Programação:

18:00 – Happy Hour da Cerveja em Dobro (até 19:30)
19:30 – Curtas-metragens (Os Mutantes, de Antônio Carlos da Fontoura; Meu Nome é Gal, de Antônio Carlos da Fontoura)
20:00 – Tropicália, de Marcelo Machado (Bossa Nova Group)
23:00 – Saidera da Rapaziada por Conta da Casa (Só uma)

INFORMAÇÕES

Endereço: Cineramabc Arthouse / Rua São Paulo 581-1 / Bairro dos Estados / Balneário Camboriú
Entrada: R$ 20,00 (Ingresso: R$ 10,00 + Consumação: R$ 10,00)
Bilheteria: De segunda a quarta das 09:00 as 18:00 / de quinta a sexta das 09:00 as 22:00 / de sábado a domingo das 16:00 as 22:00 ou através do site www.arthousebc.com
Atenção: Ingresso para cadeirante somente na bilheteria

FILMES

**Tropicália, de Marcelo Machado (Documentário – 87 minutos – 12 anos – 2012 – Brasil)**

Sinopse: Em meio ao tumulto político da segunda metade da década de 1960, artistas plásticos, poetas, músicos, cineastas e dramaturgos criaram um dos maiores movimentos artísticos já realizados no Brasil: a Tropicália. O diretor Marcelo Machado analisa o impacto dessa explosão cultural e suas consequências nos dias hoje. Conversando com seus protagonistas e testemunhas, o diretor nos oferece um amplo panorama do que foi aquela agitação criativa que inspirou tudo o que veio depois.

**Os Mutantes, de Antônio Carlos da Fontoura (Documentário – 7 minutos – Livre – 1970 – Brasil)**

Sinopse: Uma brincadeira mutante improvisada por Arnaldo Batista, Sérgio Dias e Rita Lee, Os Mutantes, num dia único pelas ruas de São Paulo.

**Meu Nome é Gal, de Antônio Carlos da Fontoura (Documentário – 12 minutos – Livre – 1970 – Brasil)**
Sinopse: Clipe precursor que registra a performance de Gal Costa em três canções que marcaram de forma determinante os momentos iniciais de sua carreira.

Share This