Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Manifestação de apoio aos grevistas hoje à tarde em Itajaí.

(WALDEMAR CEZAR NETO/JP3) – a greve dos caminhoneiros continua impactando a região e com apoio de parcela da população como ocorreu ontem em Balneário Camboriú e na tarde deste domingo em Itajaí.

Pelas manifestações em redes sociasi é possível perceber, apesar das dificuldades, uma espécie de “festa cívica” em que uma categoria de trabalhadores colocou Brasília e o governo brasileiro de joelhos após duas décadas de privilégios aos políticos e abusos com os contribuintes.

As informações para esta segunda-feira (28) são as seguintes:

COMBUSTÍVEL
Bases fechadas e todos os postos da região sem estoque.

PREFEITURA
Funcionamento com restrições, observadas as dificuldades de deslocamento de servidores e logística. Licitações foram adiadas, consulte o portal do município.

SEGURANÇA PÚBLICA
Normal.

SAÚDE
Com restrições, observadas as dificuldades de deslocamento de servidores. O Hospital Municipal Ruth Cardoso está racionando comida e a direcionando apenas aos pacientes. Servidores e acompanhantes de pacientes devem levar seu alimento.

As cirurgias eletivas foram suspensas temporariamente. Consultas ambulatoriais e tratamentos fora do domicílio também estão canceladas. Serão mantidas somente para pacientes que fazem tratamento oncológico e diálise.

ESCOLAS E CRECHES MUNICIPAIS
Todas fechadas devido à dificuldade de locomoção dos funcionários e falta de leite e outros alimentos.

UNIVALI
Aulas suspensas nos colégios de aplicação, graduação e pós-graduação.

AVANTIS
Aulas suspensas, o comunicado será feito ao anoitecer deste domingo.

LIXO
O recolhimento está normal, a reportagem não conseguiu apurar se o serviço funcionará nesta segunda-feira.

ÁGUA E ESGOTO
Funcionamento normal com pedido que a população economize água.

EXPRESSUL
Os ônibus trabalharão nesta segunda-feira, com os seguintes horários:
Linhas 100, 102, 105 e 105/1 em horário de domingo.
Linhas 103, 109 e 100 em horário.
Linha 106 do Estaleiro em horário diferenciado.
Saídas do hospital 5h05; 7h15; 8h10; 9h40; 10h40; 12h; 13h30; 14h24; 15h30; 16h45; 17h45; 19h05; 20h10 e 22h30.
Saídas do Estaleiro: 6h05; 7h; 8h25; 9h20; 10h50; 12h15; 13h15; 14h45; 15h50; 17h55; 19h; 20h30; e 21h20.
Bondindinho funcionamento normal.

FÓRUM
O TJSC não emitiu avisos atualizados sobre funcionamento e prorrogação do adiamento de prazos processuais.

MERCADOS
Há desabastecimento de frutas, legumes e outros alimentos frescos em Balneário Camboriú. Também ocorre escassez de gás e de água mineral.

Veja a cronologia da paralisação dos caminhoneiros no Brasil

(NATÁLIA PORTINARI/FOLHAPRESS) – Caminhoneiros estão parando o fluxo de transporte de cargas pelo país desde segunda-feira (21).
Confira, abaixo, a linha do tempo da crise que causou desabastecimento nas cidades brasileiras.

SEXTA-FEIRA (18)
Caminhoneiros anunciam greve. A reivindicação era que o governo reduzisse a zero a carga tributária sobre o diesel (os impostos federais são PIS/Cofins e Cide), cujo custo aumentou nos últimos meses devido à política de preços da Petrobras.

DOMINGO (20)
Na véspera do início da manifestação, duas liminares já impediam as manifestações de caminhoneiros. Uma delas, obtida pela CCR Nova Dutra, em São Paulo, impedia bloqueios sob multa de R$ 300 mil por dia. No Paraná, outra decisão impunha pena de R$ 100 mil por hora de interdição.

SEGUNDA-FEIRA (21)
Caminhoneiros fizeram bloqueios em 17 estados. A Associação Brasileira de Caminhoneiros, liderada por José da Fonseca Lopes, se declarou organizadora do movimento, mas muitos caminhoneiros aderiram espontaneamente à manifestação via grupos de WhatsApp. Descentralizadas, as paralisações já impediam, desde segunda-feira, a entrega de cargas nos centros de abastecimento de alimentos e terminais de combustíveis.

TERÇA-FEIRA (22)
A paralisação cresceu, tomando 19 estados e o Distrito Federal, com 188 pontos de paralisação. Os postos de gasolina do estado de São Paulo e do Rio de Janeiro já não estavam recebendo combustível para repor os estoques, prenúncio de que as bombas iriam secar nos próximos dias.

QUARTA-FEIRA (23)
Os primeiros efeitos do desabastecimento de alimentos foram sentidos nos Ceasa e, em São Paulo, no Ceagesp. Produtores pararam de enviar produtos perecíveis para as estradas. O presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou que iria reduzir em 10% o preço do diesel nas refinarias da estatal pelos próximos 15 dias.

QUINTA-FEIRA (24)
O presidente Michel Temer se reuniu novamente com representantes dos manifestantes. A reunião terminou sem acordo, já que a Abcam abandonou o recinto e não assinou a proposta de trégua. Outras associações, como a CNTA, cederam à proposta. O governo ofereceu a redução de 10% no preço do diesel por mais 15 dias (30, no total) e uma mudança na política da Petrobras para que os reajustes de preço de combustíveis sejam mensais, e não mais diários. O custo do acordo foi estimado em R$ 5 bilhões.

SEXTA-FEIRA (25)
Caminhoneiros seguem paralisando as estradas. CNTA diz que assinou o acordo, mas que caminhoneiros é que devem decidir quando e como vão parar. Frotas de ônibus de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e cidades do interior paulista são afetadas e têm operação reduzida. Cidade de São Paulo declara emergência, medida que permite à prefeitura fazer compras sem licitação, requisitar ou apreender bens privados. Governo federal baixa decreto GLO (Garantia da Lei e da Ordem), que permite intervenção militar e das forças federais para desobstruir as vias públicas.

SÁBADO (26)
Polícia Rodoviária Federal informa que há 596 pontos de manifestação às 11h30. Com o uso da força, seis operações realizaram entrega de combustível com ajuda das tropas de choque estaduais. O exército levou gasolina da refinaria de Paulínia (SP) ao aeroporto de Viracopos, e a PM escoltou um carregamento da refinaria de Duque de Caxias (RJ) para abastecer o BRT do município do Rio de Janeiro. O governador de São Paulo, Márcio França (PSDB), anunciou que iria suspender a cobrança de pedágio sobre eixo elevado em troca da desocupação de rodovias. PRF solta boletim às 22h informando que havia 554 pontos de manifestação nas estradas.

DOMINGO (27)
Governo de SP anunciou que mais de 80% dos bloqueios nas rodovias do estado estão liberados. Temer e ministros fazem reunião para debater quais medidas tomar diante da crise.
Fonte: Página 3