Flávio contou sobre a produção de imagens do livro

O fotógrafo Flávio Fernandes e o artista Luciano Estevão apresentaram seus projetos na terceira edição do Sarau Machado Literário, realizado nesta quarta-feira(27), na Biblioteca Pública Machado. Os projetos foram patrocinados pela Lei de Incentivo à Cultura (LIC).

Flávio falou sobre seu livro de imagens ‘Rodar do Engenho’, comentando a importância de valorizar a cultura local.

“Também pela forma como os moradores nativos de nossa região lembram de sua infância, outros de seus ofícios como forneiros”, comentou o fotógrafo sobre o trabalho de imagens que desenvolveu junto ao engenho da praia de Taquaras.

Flávio já conhecia o engenho, mas nunca tinha acompanhado uma ‘farinhada’, que é uma atividade comum, muitos moradores da região das praias agrestes trabalhavam com isso porque suas famílias tinham engenhos.

“Fui com a Marina Tete, que estava fazendo sua tese de mestrado com o engenho. Tivemos oportunidade de participar da farinhada que estava para acontecer. Eu fazendo fotos e ela fazendo a pesquisa. As imagens foram usadas em sua tese. Gostei muito do resultado desse trabalho e fico feliz pelas pessoas que se encontram nas imagens e assim podem relembrar tempos passados”, disse Flávio.

Espaços Culturais

Luciano Estevão apresentou novo projeto – Foto: FCBC

O ator Luciano Estevão lançou o Portfolio do Mapeamento dos Espaços Culturais, que resultou de uma pesquisa realizada ano passado e neste ano, que mapeou 35 desses espaços em Balneário Camboriú.

O autor do projeto explicou que com esse trabalho concretizou duas etas do Plano Municipal de Cultura, as metas 11 e 19. A primeira é mapear 10 espaços culturais em parceria com o governo que possibilitem a descentralização e a democratização da produção artística.

Com o projeto foram mapeados 21 espaços governamentais. A meta 19 é encontrar 20 espaços para apresentações da produção cultural local. Dos 35 mapeados pelo menos 25 estão adequados para cumprir a finalidade.

“Outro objetivo alcançado foi o cumprimento parcial da meta 28 que é implantar pelo menos 10 pontos de cultura. O primeiro passo foi esse Mapeamento, agora a luta continua para efetivação dessa meta”, descreveu o autor.

Fonte: Página 3