Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Um dos triatletas mais vitoriosos do esporte no país. Único brasileiro a completar o Ironman em menos de 8 horas, o atleta trilhou toda sua trajetória em Balneário Camboriú. Nascido em Belo Horizonte, mudou-se para cá com um mês de vida. Seus pais se mudaram para a cidade, porque os avós moravam aqui. O avô  faleceu, seus pais vieram para ajudar por um tempo e acabaram ficando.

Depois de alguns anos conheceu o triathlon após assistir uma prova do Ironman em Florianópolis e passou a praticar a modalidade. Suas primeiras provas no Estado foram nos Jogos Abertos e Catarinense, passando depois para competições nacionais. Em 2005 disputou um Brasileiro em João Pessoa e em 2006, já levava o nome de Balneário Camboriú, pela primeira vez em provas internacionais, na Colômbia e Argentina.

Nunca mais parou. 

Com 33 anos, Igor passou por todas as etapas do triathlon, começando nas provas Sprint, passando por Olímpico, 70.3 até chegar ao Ironman. Ao longo desses anos soma dois títulos em Ironman, Brasil em 2014 e Holanda em 2016, além de cinco vitórias no Ironman 70.3 – Uruguai e Porto Rico em 2015, Estados Unidos em 2017 e duas vitórias no Brasil (2017 em Palmas e 2018 em Florianópolis).

Foi em Florianópolis que Igor teve alguns dos momentos mais marcantes de sua carreira. O lugar onde ele conheceu o esporte é também o local onde ele conquistou a primeira vitória no Ironman.

O triatleta mantém sua base em Balneário Camboriú até hoje. Treina na CPH Brasil e quando não está competindo está na cidade se preparando para a próxima competição.

Nos últimos cinco anos levou o nome de Balneário Camboriú até o Havaí, onde disputou o Mundial de Ironman, a competição mais importante da modalidade. Em outubro, ele disputará pelo sexto ano consecutivo o Mundial.

Sobre Balneário

Igor diz que está muito diferente de quando chegou, mas segue acolhedora.

“Balneário é muito diferente de quando eu era criança. Um lugar muito maior e populoso, bem diferente. Na verdade o mundo inteiro mudou. Na minha época a gente brincava muito na rua e acho que isso está mudando um pouco. Espero que meus filhos possam ter essa chance que eu tive. Muito esporte, brincadeira com os amigos, isso é importante e não podemos deixar de lado”, avalia.

Fonte: Página 3