Berejuk

Há exatos seis anos o artista de rua Luis Felipe Berejuk virava notícia no Página 3 após quase ser preso pela pintura de um muro na Avenida Brasil. Desde então muita coisa aconteceu, mas entre altos e baixos, ele ainda considera que a “nossa cultura continua doente”.

Na ocasião da polêmica, há seis anos, Berejuk se viu em meio a um tumulto após a dona de uma propriedade chamar a polícia porque ele resolveu pintar um muro, sem permissão.

A situação era relativamente nova por aqui e gerou burburinho na rua e depois nas redes, porque as opiniões se dividiram rapidamente.

O artista alegava que o local estava sujo e abandonado, porém a proprietária não aceitou acordo e Berejuk respondeu a processo e está prestando serviço comunitário.

Berejuk analisa que desde então muitas coisas mudaram. Há mais conscientização na cidade sobre o que é arte de rua, e que as discussões que se sucederam, motivadas pela imprensa neste e em outros casos, ajudaram no processo de diferenciar arte e vandalismo.

Entretanto, a falta de incentivo à arte ainda é um problema sério, e não apenas do poder público, mas também por parte da iniciativa privada.

Berejuk cita alguns exemplos, como um projeto de safari de arte na cidade que está travado por falta de apoiadores ou a falta de políticas públicas que incentivem de verdade a arte de rua. O artista reclama que há sempre muitas promessas e pouca efetividade.

Ele destaca o potencial de transformar Balneário Camboriú em um roteiro artístico-cultural, como Miami, onde a arte de rua criou novos pontos turísticos. Também cita o potencial vertical da cidade, perfeito para transformá-la em uma imensa galeria de arte.

Cansado de esperar respostas, Berejuk resolveu defender suas reivindicações e de seu setor e aceitou se candidatar a uma vaga na Câmara Setorial de Artes Visuais, da Fundação Cultural. A eleição será neste mês.

“Mas para dizer que não é só choradeira, no final do mês vai ter a pintura de um painel aprovado pela LIC (Lei de Incentivo à Cultura) que contará a história do skate”, contou. O projeto, proposto pela Associação de Skate de Balneário Camboriú, vai dar outra cara à pista de skate, na Barra Sul.

Fonte: Página 3