Teixerinha (à direita) ao lado do Luis Corredor, morador do Estaleiro, que também faleceu recentemente.

O vereador Aldemar “Bola” Pereira propôs o nome de Nildo Teixeira de Melo, o Teixeirinha, à via na beira mar, no trecho entre a Rua Vergílio Rodrigues Pereira e a Rua Napoleão Vieira no Estaleiro.

Teixeirinha, morador há décadas no Estaleiro, foi uma lenda no futebol catarinense e a justificativa anexada ao projeto do vereador Bola explica os motivos para a homenagem.

Justificativa

A homenagem concedida através da nomeação de um bem público é uma honraria reservada para aqueles que tiveram uma história exemplar.

Uma honraria que, portanto, logo se imagina sendo concedida para alguém como o Sr. Nildo Teixeira de Melo, o Teixeirinha.

A via pública, localizada no Bairro do Estaleiro, à beira mar, no trecho entre a Rua Vergílio Rodrigues Pereira e a Rua Napoleão Vieira, não possui nome (conforme comprova a certidão anexa) e deve ser devidamente denominada, motivo pelo qual o presente Projeto de Lei propõe a denominação “Avenida Nildo Teixeira de Melo” à referida via.

Nildo Teixeira de Melo deixou muito mais do que uma bela lembrança aos seus parentes e amigos. Ele deixou um legado de inspiração, dedicação e amor pelo futebol, sendo considerado por muitos o melhor jogador da história do futebol catarinense.

Carinhosamente conhecido como “Teixeirinha”, Nildo Teixeira de Melo nasceu no dia 03 de agosto de 1923, na cidade de Tubarão – SC, mas o destino – felizmente – trouxe seu talento e sua estimável presença até Balneário Camboriú.

Brilhou em diversos times brasileiros, tais como o Palmeiras de Blumenau – SC, o Carlos Renaux – SC, o Olímpico de Blumenau – SC, o Botafogo – RJ, o Bangu – RJ e o São Paulo Futebol Clube.

Conforme extraído da matéria do Página 3, Teixeirinha foi pentacampeão pelo Palmeiras Esporte Clube de Blumenau na liga LBF (Liga Blumenauense de Futebol) e campeão do Centenário de Blumenau em 1950. Foi tricampeão pelo Carlos Renaux na LBF, tricampeão da Liga de Brusque, e campeão pela Seleção Catarinense no Sul Brasileiro em 1960.

Foi artilheiro da Seleção Catarinense na XXI Edição do Campeonato Brasileiro, disputada em 1952. E disputou, ainda, os campeonatos Brasileiros de 1956 e 1960.

Jogou por 40 (quarenta) anos como profissional e a sua extraordinária trajetória foi encantadoramente homenageada através do livro “O Craque Eterno”, escrito pelo seu filho, Nildo Teixeira de Melo Junior, o Bola Teixeira.

Faleceu no dia 09 de junho de 2018, aos 94 anos. Sua ausência deixou aos seus contristados familiares, seus filhos, noras, netos, bisneto e aos amigos, conhecidos e à toda uma sociedade, um exemplo de cidadão de bem.

Esta homenagem faz justiça a este cidadão que dedicou vários anos da sua vida ao futebol catarinense, motivo pelo qual requer-se o acolhimento da presente propositura pelos Nobres Edis que compõem esta Casa.

Fonte: Página 3